O bebê de 0 a 15 dias

Spread the love

Depois de nove meses de espera, planos e muita ansiedade, finalmente seu bebê está em seus braços! Para as mamães de primeira viagem, é a realização de um sonho. E para quem já tem um ou mais filhos, continua sendo uma nova descoberta a cada dia, pois uma coisa é certa: cada criança é única, com seu jeito, ritmo e personalidade, o que a torna ainda mais especial.

O bebê de 15 dias

Mesmo assim, existem etapas do desenvolvimento e situações que todo bebê vai passar. E você deve estar preparada para cada uma delas, proporcionando a ele os cuidados que precisa para crescer saudável e feliz.

Passados os primeiros dias, você já vai “traduzir” tudo o que seu filho precisa, com um único olhar ou ao menor sinal de choro. Afinal, sabe como a gente aprende a ser mãe? Sendo.

Bem-vindo ao mundo, bebê!

Logo após o parto, o cordão umbilical é cortado próximo à barriguinha do bebê. O coto umbilical irá secar naturalmente até o 10º dia. Em seguida, o recém-nascido passa por uma avaliação do pediatra junto com o obstetra para checar seu peso, estatura e condições de saúde. Ainda na maternidade, ele recebe as duas primeiras vacinas: BCG (dose única) contra tuberculose e 1ª dose contra a hepatite B. As demais serão dadas a partir do segundo mês.

O peso do recém-nascido

Ao nascer, o bebê pesa em média de 2,8 kg a 3,5 kg, com pouca variação (meninas costumam ser menores). Em geral, ele mede de 48 a 51 cm e sua cabecinha tem de 31 a 37 cm de perímetro, podendo se apresentar alongada, pois ainda está em processo de consolidação óssea. Algumas partes de seu corpinho são compostas de cartilagens, por isso ele é tão frágil e molinho.

Perder peso nos primeiros dias é normal?

É comum o bebê emagrecer um pouquinho nos primeiros dias, podendo perder até 10% do peso inicial. Além de mãe e filho ainda estarem se adaptando à rotina de amamentação, existe uma perda fisiológica na evacuação e na redução do inchaço. Não se preocupe, pois, por volta do décimo dia, ele irá recuperar o peso, engordando cerca de 30 g por dia.

O cérebro do bebê

Você não imagina quanta atividade tem dentro daquela cabecinha. O cérebro do bebê é 250% mais ativo do que o de uma pessoa adulta. Desde que nasce, ele está absorvendo tudo, minuto a minuto, com todos os seus sentidos.

O desenvolvimento nessa fase acontece de modo acelerado, de acordo com os estímulos que recebe, além de sua própria personalidade. Por isso, prepare-se para acompanhar novidades todos os dias, no fantástico mundo do seu bebê.

Hora de mamar

Poucas horas após o nascimento, a mãe produz o colostro, um líquido importante que possui anticorpos e nutrientes. É ele que vai alimentar o bebê, ainda na maternidade. O leite materno propriamente dito só desce por volta do terceiro dia após o parto.

No começo, a criança deve ser estimulada a pegar o seio. Algumas o fazem rapidamente, outras demoram um pouco mais. O ideal é que a primeira mamada aconteça em um ambiente calmo e silencioso. Em pouco tempo, mãe e filho estarão adaptados ao processo e poderão aproveitar ao máximo esse momento tão especial.

Trocando a fraldinha

Na primeira evacuação, poucas horas após o parto, o intestino libera o mecônio, que tem a cor verde-escuro. Depois, é normal o bebê ficar sem evacuar até três dias.

Quando começa a rotina normal (cerca de seis xixis e três cocôs por dia), o ideal é trocar a fralda o mais rápido possível, para evitar assaduras. Limpe a área com algodão e água morna ou lenço umedecido. Use se preciso um creme de proteção numa camada bem leve.

A primeira consulta ao pediatra

A primeira ida ao pediatra deve acontecer entre o 3º e o 7º dia. Ele irá avaliar o peso, tamanho e reflexos do bebê, e orientar a mamãe e o papai sobre qualquer dúvida no cuidado com a criança. A partir daí, as consultas serão mensais.

Para evitar que o bebê fique estressado com muitos sons, cores e cheiros, ele precisa de um ambiente calmo e aconchegante. Nessa fase, aconselha-se o mínimo de visitas e ele só deve sair de casa para banhos de sol e consultas ao pediatra. Deixe os passeios divertidos para depois do 3º mês.

Que soninho!

Em geral, um recém-nascido dorme cerca de 18 horas por dia, acordando de 3 em 3 horas para mamar. Mas isso não é regra. Há crianças que “trocam o dia pela noite”, ou porque estão muito agitadas ou por algum desconforto, como fome ou cólica. Com o tempo, mamãe e bebê estarão acostumados à sua rotina e horários.

Se o seu filho dorme a noite toda, levante as mãos para o céu. Mas, caso ele acorde várias vezes e tenha dificuldade para voltar a dormir, procure descansar na hora do soninho dele, para estar bem desperta quando ele precisar.

Desenvolvimento cognitivo do bebê de 0 a 15 dias

A cabecinha do bebê processa informações e sensações desde o nascimento. Sua primeira e mais forte manifestação será o choro. Alguns sentidos são mais desenvolvidos que outros e muitos de seus movimentos são devido a reflexos, causa/efeito ou imitação. Esses reflexos começam assim que o bebê nasce e podem permanecer por vários meses.

Principais reflexos do bebê de 0 a 15 dias

  • Reflexo de Preensão: se você o toca na palma da mãozinha, ele instintivamente agarra o seu dedo.
  • Reflexo de Moro: ao ouvir um som forte, ergue os braços, com a palma das mãos voltada para cima, esticando o pescoço. Em seguida, se retrai rapidamente.
  • Reflexo de Babinski: ao ser acariciado na sola do pé, estica o dedão para cima e espalha os dedinhos.
  • Reflexo de Sucção: se você coloca o dedo na boca do bebê, ele o suga instintivamente. Esse reflexo de sobrevivência já existe durante a gestação, quando ele suga o próprio dedo.
  • Reflexo de Busca: ao tocar sua bochecha, ele vira a boca aberta, procurando o seio.
  • Marcha Automática: ao segurar seu bebê por baixo dos braços, apoiando sua cabecinha, ele moverá as perninhas como se estivesse “caminhando”.
  • Reflexo de Proteção: se um objeto vem em sua direção, vira instintivamente o rosto.

Os cinco sentidos do bebê de 0 a 15 dias

Tato: é o primeiro sentido que se desenvolve na barriga da mãe. Entre o 2º e 4º mês de gestação, adquire sensibilidade nos lábios, mãos e pés. Por isso, logo nos primeiros dias, reage com prazer ao toque da mãe. Nessa fase, massageá-lo gera nele sensação de calma e segurança.

Paladar: é o sentido mais apurado nos primeiros dias de vida. As papilas gustativas se desenvolvem por volta do segundo mês de gestação. Sentir o sabor do leite materno é dos primeiros prazeres que um bebê vai apreciar na vida.

Olfato: é o segundo instinto mais forte do bebê. Se desenvolve a partir do sexto mês de gestação, através do líquido amniótico. Ao nascer, identifica o cheiro do leite materno e procura instintivamente o seio. Por volta do segundo dia, já reconhece a mãe pelo cheiro, o que o conforta e acalma.

Audição: é um dos sentidos mais aguçados. No quarto mês de gestação, filho já escuta sons do corpo da mãe e movimentação externa. Ao nascer, sua audição é perfeita e a voz da mãe já lhe é familiar.

Visão: é o sentido menos desenvolvido. Por ainda ser um pouco míope, ele só foca em pessoas ou objetos a pequenas distâncias. Por isso, a imagem que ele mais identifica é justamente o rosto da mãe, ao amamentá-lo. Sua visão só atinge toda a capacidade após os oito meses.