O bebê de 1 mês a 1,5 meses

A viagem continua pelo mundo mágico do bebê. Agora, o príncipe ou princesa da casa já completou um mês. Juntos, vocês superaram as dificuldades iniciais e estão cada vez mais adaptados. Já foi estabelecida uma rotina de sono, banho e mamadas.

O bebê de 1 mês a 1,5 meses

Todos os dias você percebe nele uma mudança. Já ganhou peso e está mais ativo e curioso. Algumas preocupações diminuíram, outras começam a aparecer, pois a relação mamãe x bebê é cheia de surpresas. Será que ele está se desenvolvendo bem? O peso está normal? Posso levar para passear? São muitas alegrias e, ao mesmo tempo, muitas dúvidas. Por isso, conheça agora como será o desenvolvimento físico, motor e cognitivo do seu bebê a partir do 30º dia.

Os cuidados com o bebê de 1 mês a 1,5 mês

Entre mamadas e trocas de fraldas, o primeiro mês passou voando! Nessa fase, o bebê ainda dorme muito, entre 15 e 18 horas por dia e acorda só para mamar. A diferença é que ele agora já se sente mais seguro e adaptado à rotina.

Embora já esteja mais “fortinho”, seu bebê ainda precisa de muitos cuidados e deve ser preservado ao máximo de influências externas. Ele está começando a descobrir o mundo e ainda tem poucas defesas. Preste atenção a essas dicas:

Já posso levar para passear?

A partir de um mês de vida, o bebê já está mais à vontade no “mundo do lado de cá”, mas a regra dos passeios continua. Recomenda-se passeios curtos, apenas para pegar sol no jardim, praça ou praia entre as 7h e 9h da manhã. O sol faz muito bem para seu crescimento, mas o horário tem que ser respeitado.

Também pode levar seu bebê para visitar a vovó ou titios, mas nunca em ambiente muito movimentado. Evite lugares fechados, barulhentos e cheio de gente, como shoppings ou supermercados. Não é recomendável, mas se necessário, pode fazer viagens curtas com a criança, de carro, sempre no bebê conforto, no banco de trás. E o trajeto jamais deve ultrapassar 3 horas.

Chupeta: sim ou não?

O uso da chupeta depende do bebê ou da mãe. Alguns pais evitam seu uso, mas não há problema em usar chupeta para acalmar o bebê e ajudá-lo a dormir. Só não se aconselha o uso prolongado dela, para prevenir problemas futuros na fala ou nos dentes.

Alimentação do bebê de 1 mês a 1,5 mês

Toda mãe sabe, todo pediatra recomenda e a opinião é unânime: não existe alimento mais poderoso para um bebê do que o leite materno. Essa será sua dieta exclusiva durante vários meses, especialmente nos primeiros 45 dias.

Nunca é demais lembrar que o leite materno protege a criança contra diversas doenças e infecções por conter em sua constituição anticorpos da mãe. No entanto, se houver dificuldades em amamentar, o pediatra pode indicar leite em pó ou de soja, próprio para a fase do bebê. Um bom indicador de que ele está bem alimentado está na fraldinha. Se ele tiver que ser trocado cinco a seis vezes ao dia, fique tranquila: está tudo normal.

Crescimento do bebê de 1 mês a 1,5 mês

Especialmente nos primeiros meses, é preciso estar atenta ao crescimento e peso de seu bebê. Por isso, é importante a visita regular ao médico pediatra. Nos primeiros 30 dias, espera-se que a criança cresça de 3 a 4 cm. Vai depender também de sua constituição genética.

Mas não se preocupe se ele é um pouco menor ou tem menos peso do que o padrão. O importante é que seu desenvolvimento seja constante. Caso note perda significativa de peso, consulte seu médico.

Tamanho do bebê de 1 a 1,5 mês

MENINOS:

  • Estatura – 55 a 57 cm
  • Peso – 3,7kg a 5 kg
  • Perímetro cefálico – 37 cm

MENINAS

  • Estatura – 52 a 54 cm
  • Peso – 3,5 kg a 5 kg
  • Perímetro cefálico – 36 cm

Evolução do seu bebê

O bebê de 30 a 45 dias já está mais receptivo a estímulos externos. Presta atenção a sons e movimentos das pessoas a sua volta. Reage bem ao balançar de chocalhos, bichinhos e móbiles no berço. Também sente prazer ao ser tocado nas perninhas, costas e mãos. Nessa fase, brinque e converse com ele, estimulando-o em todos os sentidos.

Movimentos/Comportamento

  • Mantém a cabecinha mais firme quando colocado no colo.
  • Move o pescoço observando o ambiente.
  • De bruços, levanta a cabeça e vira para o lado.

Tato

  • A mãozinha já fica menos fechada, estica os dedinhos com mais frequência.
  • Tem mais firmeza ao segurar objetos.
  • Começa a ter consciência de seu próprio corpo: “descobre” as mãos, pés e braços, embora seus movimentos ainda sejam descoordenados.

Visão

  • Ainda enxerga meio “borrado” e foca melhor em rostos a uma distância de 30 cm a 40 cm.
  • Segue com o olhar o movimento de pessoas a sua volta.
  • Acompanha com os olhos quando você move um objeto/brinquedo diante dele.
  • Se entretém com brinquedinhos e móbiles pendurados no berço.

Audição

  • Reage a sons altos – palmas, portas fechando, som de TV, buzina.
  • Canções de ninar, especialmente na voz da mãe, o deixam relaxado.
  • Presta atenção quando alguém fala com ele.
  • Percebe a voz da mãe, mesmo estando em outro recinto.
  • Balbucia alguns sons: resmunga quando aborrecido ou “canta” quando feliz.

Paladar

  • Tem o paladar aguçado e mesmo com alimentação restrita ao leite materno, reconhece e distingue sabores primários como salgado, doce, amargo e azedo.
  • Leva o dedinho à boca: instinto de sucção.

Olfato

  • Se o bebê já tinha o olfato desenvolvido ao nascer, agora tem muito mais.
  • Além da mãe, já começa a conhecer o cheirinho do papai e outras pessoas mais próximas.
  • Procura o seio da mãe por causa do cheiro do leite.
  • Como seu olfato é apurado, não use perfumes fortes nem o exponha a odores intensos. Eles podem causar uma obstrução nasal.

A presença do papai

Já sabemos que, nessa fase, ninguém é mais importante para o bebê do que a mãe. Mas a presença do papai em todos os momentos também é essencial tanto para o bebê quanto para você.

A maioria das mães ainda está de licença-maternidade nessa fase e o papai já voltou ao trabalho. Por isso, ele deve aproveitar os momentos em que está em casa para ficar com o neném, não apenas aproveitando as brincadeiras, mas “colocando a mão na massa”.

Trocar fraldinha, dar banho ou colocar para dormir são interações preciosas para os dois. A relação entre pai e filho deve ser estabelecida desde cedo. Ela será importante para a vida toda.