27 semanas de gestação

Spread the love

A partir da 27ª semana de gestação, o bebê já conta com cerca de 28 a 35 centímetros, em termos de tamanho. O organismo dele também começa a se formar, embora o cérebro ainda não esteja em plena atividade.

Abre e fecha os olhos

Nesta semana, ele também começa a abrir e fechar os olhos com mais frequência.  Além disso, segundo os especialistas, eles desenvolvem um sono regular, o que muitas vezes não quer dizer que as mães tenham a mesma rotina.

Bebê mais gordinho

Nestes quase sete meses, os bebês ganham peso significativamente. Eles podem pesar em torno de um quilo, aproximadamente. Então, as mães também já começam a sentir a barriga mais pesada e podem engordar.

Alguns desejos pitorescos

Nem todas as gestantes desenvolvem desejos por comer determinados alimentos, mas há quem cultive esse hábito. Na 27ª semana, por exemplo, é uma das fases em que as mulheres podem sentir vontade em consumir alimentos, os quais provavelmente não se interessariam se não estivessem grávidas, desde sorvete com feijão ou outra combinação peculiares.

A mulher passa por um turbilhão de mudanças hormonais e seus hábitos alimentares podem ser alterados, o que justifica a preferência por alimentos e combinações inusitadas. Em todo caso, não custa lembrar, procure manter sempre uma alimentação saudável, com nutrientes essenciais para o organismo e para o bebê.

Novos sabores no paladar

É nesse período também que a criança começa a perceber mudanças no paladar que até pouco tempo atrás sequer notava. Então, quando a mãe consome um determinado tipo de alimento (que raramente ingere), o bebê pode perceber essas mudanças. Mas não significa uma situação incômoda, pode ser apenas uma sensação diferente para o pequeno. A contemplação de novas nuances de sabor tende a ser uma aventura de descoberta para ele.

Barriga mais inchada para as mamães

Se o bebê está mais gordinho, é natural – como citado antes – que a mãe ganhe peso. Além disso, o útero fica mais inchado, a barriga aumenta e algumas partes do corpo podem sofrer inchaço, como pés, mãos ou tornozelo.

Essas questões ocorrem pelo fato de haver acúmulo de líquido no tecido. É um condição temporária, mas se houver muito incômodo, uma dica é consultar a opinião de um especialista para recomendar o melhor e mais adequado tratamento.

Se movimenta mais dentro da barriga

A partir dessa fase, a mãe já percebe que o bebê se movimenta com mais frequência. Há mulheres que notam movimentos intensos, como se o pequeno estivesse realizando alguma atividade física, segundo informações do site American Pregnancy.

Mas no geral, a maioria das mães concorda que esses movimentos contribuem para fortalecer a ligação entre mãe e filho. E caso o bebê não se mova com frequência, é importante consultar a opinião de um médico.

Conversar com o bebê

Cada vez mais especialistas atestam os benefícios de conversar com o bebê, mesmo quando ele ainda se encontra no ventre da mãe. Em entrevista à revista Viva Saúde, Adriana Smaniotto, médica especializada em ginecologia, cita que a prática ajuda na constituição do laço e afetividade entre a mãe e o filho.

Durante a gestação, a ligação entre ambos é tão profunda que o bebê pode ser influenciado pelas emoções sentidas pela mãe. Esse cenário mostra o quanto é importante para uma mulher grávida estar sob influência de ambiente e situações tranquilas e saudáveis. Contextos conturbados para as mães, de alguma forma, podem incomodar os bebês.

Ouvir música e leitura

Músicas e leituras podem ser úteis para a saúde do bebê, segundo a reportagem. Canções relaxantes e livros de obras tranquilas são uma ótima pedida.

Bebê já reconhece a sua voz

E é justamente nessa fase que o pequeno reconhecerá com facilidade a voz da mãe, do pai ou pessoa mais próxima. Por isso, é recomendável a leitura e conversa com o pequeno. Na 27ª semana, o aparelho auditivo está em bom desenvolvimento quando comparado a outros meses.

Risco de nascimento prematuro

Não é impossível que haja nascimento do bebê na 27ª semana. Esses são casos tidos como prematuros. Dessa forma, será preciso que o recém-nascido fique um tempo no hospital até que tenha condições de ir para casa. São contextos muito delicados e merecem acompanhamento especial.

Carro: cadeirinha ideal para o bebê

É muito importante usar cadeira adequada para idade e peso do bebê, inclusive, é uma regra prevista no Código Brasileiro de Trânsito. Para os recém-nascidos, o ideal é utilizar cadeirinha ou bebê conforto para crianças de até 1 ano.

É importante que ela seja colocada na posição contrária ao deslocamento do carro. Lembrando que transportar crianças em veículos sem o uso das cadeiras (adequadas a cada faixa etária) é uma infração de trânsito gravíssima para o condutor.