9 semanas de gestação

Spread the love

Com o crescimento em ritmo bastante acelerado das últimas semanas, o bebê agora tem o tamanho de uma azeitona e pesa cerca de 10 gramas. Pode parecer pouco, mas lembre-se de que ele tinha apenas uma célula algumas semanas atrás.

Na nona semana da gravidez termina o estágio embrionário e se inicia o estágio fetal: a partir de agora, o bebê é um feto.

Aquela cauda que fazia o bebê parecer um girino já não existe mais e o feto está mais próximo de se parecer com um bebê.

As orelhas estão formadas e proeminentes e é na nona semana da gravidez que se formam as estruturas do ouvido interno.

Na cavidade abdominal, outros órgãos começam seu processo de formação, como o fígado, a vesícula biliar e o baço.

Na nona semana da gestação, os músculos das pernas e dos braços começam a se desenvolver e o bebê já tem formadas todas as suas juntas (joelhos, cotovelos, tornozelos etc), por isso, ele se movimenta bastante. Como ele ainda é pequeno, há bastante espaço para toda essa movimentação.

Todavia, a grávida ainda não consegue sentir a movimentação do bebê. Sentir o bebê se mexer é esperado somente a partir do fim do primeiro trimestre.

Com a formação já quase completa, a partir de agora o crescimento e o ganho de peso do feto ocorrerão de forma muito rápida.

Na nona semana da gravidez, muitos bebês começam a chupar o dedo.

Batimentos cardíacos

O coração do bebê já se desenvolveu e cresceu o suficiente para que seu batimento possa ser ouvido no exame de ultrassom, mas isso só é possível se o bebê estiver numa posição e localização favoráveis, afinal, ele é ainda pequeno.

O coração já tem as quatro cavidades completas e agora começam a se formar as válvulas.

O corpo da mulher na nona semana da gestação

A gravidez em sua nona semana ainda não é facilmente perceptível para ninguém além da própria grávida, que já está sentindo as roupas ficarem apertadas na região dos seios e a partir de agora também na região da cintura.

Sintomas da gravidez na nona semana

O cansaço e os enjoos infelizmente ainda estarão presentes na nona semana da gestação. Esses sintomas são causados pelos hormônios da gravidez, então não é recomendável lutar contra eles. A mulher precisa descansar mais do que o habitual e continuar adaptando seu dia a dia para lidar com as náuseas e vômitos. Nas próximas semanas, depois que a placenta estiver totalmente formada, esses sintomas serão abrandados.

Alimentar-se em pequenas quantidades, fazendo mais refeições ao dia continua sendo a melhor forma de lidar com os enjoos (e minimizar a flatulência característica da gravidez). Recomenda-se também evitar comidas apimentadas e/ou gordurosas, que podem irritar o estômago agravando os enjoos e a azia.

As dores de cabeça também se mantêm, por conta do aumento da quantidade de sangue circulando no corpo.

Ainda é natural que a grávida tenha vontade de fazer xixi muitas vezes mais que o habitual.

Na nona semana de gravidez, também é normal que a mulher sinta dores na região da coluna lombar e as dores típicas causadas por problemas com o nervo ciático. A coluna da mulher se adapta desde o início da gravidez, preparando-se para o parto. As últimas vértebras da coluna se movem muito lentamente, então é esperado que haja certo desconforto.

A salivação excessiva é também um sintoma comum na gravidez, que pode ser administrado escovando os dentes mais vezes ao dia. Chicletes sem açúcar podem ajudar.

O inchaço dos seios pode causar desconforto principalmente na hora de dormir. Existem sutiãs feitos especialmente para auxiliar a mulher grávida a lidar com esta questão.

Para ajudar na questão da prisão de ventre, típica na gravidez, alguns médicos recomendam a ingestão de água morna com limão em jejum ou logo antes de dormir, além das recomendações básicas sobre beber bastante água e incluir mais frutas, verduras e legumes na alimentação.

Algumas grávidas enfrentam dificuldades para dormir, principalmente devido ao desconforto causado pelos seios muito sensíveis e pela necessidade de levantar muitas vezes durante a noite para fazer xixi.

Candidíase na gravidez

A grávida pode ficar mais propensa a desenvolver candidíase a partir da nona semana da gravidez. Em vez de recorrer aos tratamentos alopáticos usuais, uma alternativa é o tratamento da candidíase usando iogurte natural (sem açúcar). Não há contraindicações e não causa o fortalecimento de longo prazo dos agentes causadores da candidíase, como ocorre com o uso dos medicamentos alopáticos repetidas vezes.

Pode-se introduzir o iogurte na vagina com a ajuda de uma seringa (sem a agulha); o uso de um absorvente é recomendável. Ou mesmo mergulhar um absorvente interno no iogurte, introduzi-lo na vagina e deixá-lo por um período de três horas. Independente da forma escolhida, o procedimento deve ser feito duas vezes ao dia.