4 semanas de gestação

Spread the love

Normalmente, é a partir da quarta semana de gravidez que a mulher descobre estar grávida. Costuma-se contar o início da gravidez a partir do início do último ciclo menstrual (o primeiro dia da última menstruação).

Os primeiros sintomas da gravidez

A quarta semana da gestação marca o aparecimento dos primeiros sintomas da gravidez, que são, na verdade, bastante parecidos com os sintomas da Tensão Pré Menstrual (TPM), afinal, ocorrem devido às mesmas alterações hormonais.

Os sintomas mais comumente confundidos com a TPM são:

  • dor de cabeça;
  • seios inchados e doloridos;
  • retenção de líquidos;
  • dor na coluna lombar.

Os sintomas típicos da gravidez incluem:

  • náusea;
  • cansaço/sonolência;
  • escurecimento da auréola.

Algumas mulheres não apresentam nenhum dos sintomas citados acima, mas notam que há algo diferente no ciclo menstrual, não apenas o atraso característico, mas mudanças no fluxo. É bastante comum que ocorra algum tipo de sangramento, em decorrência da nidação, a fixação do zigoto na parede uterina. Este processo é, muitas vezes, confundido com o período menstrual, o que explica como muitas mulheres levam até dois meses para descobrirem que estão grávidas.

Teste de gravidez

Os testes de gravidez “de farmácia” só detectam a gravidez a partir do segundo dia após o atraso da menstruação, o que ocorre na quarta semana.

O bebê na quarta semana da gestação

Na quarta semana da gravidez, o bebê ainda recebe o nome de zigoto. O zigoto mede entre 1 e 2 milímetros e é formado por três tipos de tecido, chamados de folhetos germinativos, que darão origem aos órgãos e tecidos do bebê:

  • endoderma: que dará origem a todo o sistema digestivo, além dos pulmões, fígado, pâncreas e tireoide;
  • mesoderma: que formará o coração e todo o sistema circulatório, os tecidos conjuntivos (que englobam, entre outros, os tecidos ósseo, cartilaginoso e sanguíneo), os músculos, os órgãos sexuais e o sistema urinário;
  • ectoderma: a camada mais externa, que vai virar pele, cabelos, unhas, os olhos, o revestimento dos dentes (o esmalte), as glândulas mamárias e sudoríparas e o sistema nervoso, incluindo o cérebro.

Ao final da quarta semana, o bebê já apresenta tubo neural (o futuro sistema nervoso) e a notocorda, estrutura característica do filo dos cordados. Os braços e as pernas começam a se formar, mas ainda são bastante rudimentares e difíceis de serem distinguidos.

A placenta

A placenta começa a se formar na quarta semana da gestação, assim como os vasos sanguíneos ao seu redor e o cordão umbilical, e já produz o hormônio detectado nos exames de gravidez feitos em laboratório, o hCG, além da progesterona e do estrogênio.

Saco gestacional

Enquanto a placenta se forma, o bebê está envolvido pelo chamado saco gestacional, uma bolsa cheia de líquido amniótico que tem a função de protegê-lo de infecções e traumas até o terceiro mês da gestação (a décima segunda semana).

Descobrindo a gravidez

Ao notar atraso na menstruação ou, para os casos em que a mulher possui ciclos menstruais irregulares, o aparecimento de alguns sintomas atípicos da TPM, recomenda-se fazer um teste de gravidez.

Um falso negativo é comum, afinal, a gravidez está ainda muito no começo e mesmo mulheres com ciclos menstruais mais regulares, às vezes experimentam certas alterações em seus ciclos.

Se o atraso na menstruação durar mais uma semana, deve-se refazer o teste. A produção do hormônio da gravidez, num nível que o teste é capaz de detectar, pode variar de mulher para mulher, podendo ser detectável apenas na segunda ou terceira semana após o atraso.

Gêmeos

Até a quarta semana da gestação ainda pode haver o desenvolvimento de gêmeos univitelinos. Assim que o zigoto chega ao útero e se fixa, começa o desenvolvimento da placenta. Para isso, ocorre uma divisão das células, sendo que metade formará o bebê (e passará a ser chamada de embrião) e a outra metade será a placenta. É neste momento que pode ocorrer uma divisão um pouco diferente, em três partes, dando origem a dois embriões. Como eles se originam do mesmo zigoto, serão gêmeos idênticos; eles possuem o mesmo DNA.

Sangramento na quarta semana de gestação

Em cerca de 30% das gestações, o processo de nidação pode causar sangramento. Isso ocorre porque a parede do útero está preparada para receber o zigoto (todo aquele material que seria expelido na menstruação está forrando a parede uterina, tornando-a propícia para o desenvolvimento de uma gestação). O zigoto busca um local para se fixar, como se estivesse “cavando” um espaço.

Esse sangramento é absolutamente normal e costuma ocorrer pouco antes do dia em que estava prevista a próxima menstruação; a quantidade de sangue não costuma ser grande (como se fosse o finalzinho da menstruação). A grávida pode também sentir certa pressão na região do abdome.

Efeitos do cigarro

Nesta fase da gravidez, a exposição ao cigarro, mesmo como fumante passiva, pode aumentar as chances de aborto espontâneo e de gravidez ectópica (quando o zigoto se fixa na trompa e seu desenvolvimento é inviável, podendo pôr em risco a vida da mãe).